Com obras do BRT, Avenida ACM terá alterações a partir de 1º de agosto

0
726
Velocidade cairá para 40 km/h no trecho entre a Igreja Universal e a Comercial Ramos

O trajeto de 322 mil motoristas, 340 mil passageiros de ônibus e pedestres que transitam diariamente na Avenida ACM sofrerá alterações a partir do dia 1º de agosto para a implantação do BRT, que ligará a Estação da Lapa à Rodoviária/ Iguatemi na linha 1.

Entre as mudanças está a redução da velocidade no trecho de 1,7 km entre a Igreja Universal do Reino de Deus e a Comercial Ramos, nas vias principal e marginal. Passará de 70 km/h e 60 km/h, respectivamente, para 40 km/h, em ambos os sentidos, por conta da presença de veículos pesados.

Ônibus passarão por faixas de concreto, sem semáforos (Foto: Divulgação/ Secom PMSP)

 

A pista principal será alargada, preenchendo também o canteiro central. As pistas de entrada e saída de veículos para a via marginal e da marginal para a principal serão fechadas na área do Cidadela, após o retorno da Polêmica.

As interferências no trânsito serão realizadas por conta da complexidade da obra do BRT. Na terça-feira (10), a Justiça Federal negou o pedido de suspensão das obras, feito em ação civil pública pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), Ministério Público Federal da Bahia (MPF-BA) e Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-BA). A juíza federal Cíntia de Araújo Lima Lopes afirmou, na decisão, que a Prefeitura de Salvador cumpriu as exigências questionadas pelas entidades nas ações judiciais.

Pedestres
Outras mudanças também estão previstas. A via marginal da ACM, no trecho entre a igreja e o Centro de Atenção à Saúde Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto (Cepred) – que fica em frente ao Shopping da Bahia – terá a calçada à esquerda (onde não passa o canal) alargada. Para ampliação da calçada, o estacionamento que é localizado antes do Cepred será retirado. Lombofaixas serão implantadas no acesso ao Cepred.

O canteiro central, por onde passa o canal Camarugipe, será isolado por tapume. Pedestres não poderão realizar travessias na região do canal. Isso apenas poderá ser feito pelas extremidades.

Ponto de ônibus
Por conta das mudanças, dois pontos de ônibus da via sofrerão alterações. O ponto de ônibus em frente à Igreja Mundial do Poder de Deus será deslocado para 350 metros adiante. O ponto localizado em frente à Igreja Universal não sofrerá modificação. O ponto de ônibus na região do Cidadela será suprimido – tem baixo movimento, segundo a prefeitura. A opção é a parada que fica depois do semáforo. As linhas do transporte público não serão modificadas.

O secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota, explicou que as alterações foram estratégicas e pensadas anteriormente. “Nós até pensamos na alternativa de transferir os pontos para a via marginal, mas concluímos que seria pior, porque iria travar a mobilidade toda, tanto para ônibus como para carros. O melhor, então, foi o ponto permanecer na ACM e a gente usar uma das faixas de rolamento para colocar provisoriamente o ponto”, explicou.

A primeira etapa das intervenções deve durar um ano. Depois desse período, a obra será realizada no outro lado da via, ou seja, no sentido Avenida Paralela. Apesar das mudanças só iniciarem em agosto, a via receberá obras de preparação para as alterações ainda esta semana. Agentes serão deslocados para orientar os motoristas. As mudanças serão sinalizadas na via.

O superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, explicou que as intervenções que iniciarão em 1º de agosto são as primeiras que entrarão em vigor no decorrer da obra, que tem duração prevista para 28 meses e será feita em três etapas. “Cada avanço tem sido muito discutido, para diminuir os transtornos naquela região, por onde passa um grande fluxo de veículos. Algumas mudanças são temporárias, parciais. Nesse primeiro momento, não haverá alterações significativas” disse Fabrizzio.

O que será construído
No primeiro trecho de intervenções para a construção do BRT, que terá a capacidade de transportar até 31 mil pessoas por hora, serão elevados dois viadutos nos acessos ao Parque da Cidade e à Cidade Jardim, dois na área do Hiperposto e um elevado no Iguatemi para que haja uma integração entre o BRT e a estação do metrô do Iguatemi.

Duas faixas expressas também serão criadas em ambos os sentidos da avenida. Por ela, os veículos poderão transitar sem a interrupção de semáforos. Os ônibus do BRT irão circular através de duas faixas feitas em concreto e também não terão intervenção de trânsito ou de sinais.

O acesso às residências e comércios no entorno será realizado através de pistas nas vias marginais. Para os pedestres, uma passarela será construída sobre a Praça Newton Rique, na região do Iguatemi, e a passarela que liga o Hospital Teresa de Lisieux ao Comercial Ramos será substituída por uma nova que atende a critérios de acessibilidade.

O professor da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e vice-chefe do departamento de Engenharia de Transportes e Geodésia, Juan Pedro Moreno Delgado, defende a viabilidade do projeto. Quatro aspectos foram ressaltados pelo professor como fundamentais. São eles: deixar de incentivar o uso de automóveis, investir em políticas de referência para todo o transporte público, deixar de visualizar que Salvador é uma cidade plana e por promover uma política de segurança.

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/com-obras-do-brt-avenida-acm-tera-alteracoes-a-partir-de-1o-de-agosto/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here